domingo, 28 novembro 2021
InícioGeralGrupo Almeida Júnior doará 12 respiradores artificiais para hospitais catarinenses

Grupo Almeida Júnior doará 12 respiradores artificiais para hospitais catarinenses

 

 

 

 

Os shoppings centers, uma estrutura voltada a comerciantes que dependem do movimento de pessoas em seus estabelecimentos, estão entre os mais atingidos nesse período de isolamento social. Mesmo assim, o maior grupo do estado ofereceu a doação de 12 respiradores após a reabertura do comércio em Santa Catarina.

A intenção foi expressa em um e-mail enviado no dia 31 de março pelo CEO do Grupo Almeida Júnior ao governador Carlos Moisés (PSL). Serão doados dois equipamentos para hospitais em cada cidade que onde há uma operação: Blumenau, Balneário Camboriú, São José, Joinville e Criciúma.

A ação é uma das que Jaimes Almeida Junior, fundador e presidente do grupo, está tomando para auxiliar no combate à Covid-19. Outra é oferecer espaço nas garagens para vacinação contra a gripe e testagem rápida do novo coronavírus. Funcionários da segurança e da brigada de incêndio dos shoppings do grupo podem auxiliar nessas iniciativas.

Todos os shoppings do estado estão fechados desde o dia 18 de março, quando o decreto estadual autorizou apenas o funcionamento de serviços essenciais. Já são 20 dias parados sem atividades nas estruturas. O comércio iria voltar na quarta-feira (8), mas na live do governador na noite de ontem (6), ele sinalizou sobre a prorrogação do decreto por mais uma semana. Mas até o meio dia nada foi divulgado pelos canais oficiais do governo de Santa Catarina.

Observação: a assessoria de imprensa da Almeida Junior nos informou que “jamais condicionou a doação de respiradores à reabertura dos shoppings no Estado de Santa Catarina.

COMUNICADO

A Almeida Junior esclarece que jamais condicionou a doação de respiradores à reabertura dos shoppings no Estado de Santa Catarina. Em carta enviada ao governador do Estado, Jaimes Almeida Junior, fundador e presidente da companhia, lista as ações que a empresa está tomando para auxiliar no combate à Covid-19. Uma delas era a busca de 12 respiradores. A redação da carta pode gerar um mal entendido, por afirmar que os respiradores seriam doados no primeiro mês após a reabertura do comércio. A Almeida Junior lamenta o mal entendido e reforça que as doações de respiradores e outras atitudes de combate ao Covid-19 não dependem de qualquer atitude do governador ou de outra autoridade pública. O grupo está comprometido a atenuar o impacto do Covid-19 na saúde do povo catarinense e na economia do Estado em parceria com governo e prefeituras.

MAIS LIDAS