quinta-feira, 27 janeiro 2022
InícioArtigoVocê sabia que sua dor na coluna pode estar relacionada cicatrizes?

Você sabia que sua dor na coluna pode estar relacionada cicatrizes?

 

Por *Ana Paula S. Gobo (Fisioterapeuta 47 3066-1330 / 99124-7181)

Ter uma cicatriz pode não ser apenas um problema estético, muitas pessoas não sabem, mas as cicatrizes podem gerar disfunções e alterações na mobilidade no corpo, trazendo repercussões inclusive a distância (longe do local onde existe a cicatriz) devido sua relação com as fáscias, músculos e sistema nervoso.

Para ocorrer movimento, os tecidos corporais precisam deslizar um sobre o outro, e isto é possível graças a um sistema de fáscias existentes no corpo, que envolvem todos os tecidos (ossos, músculos, órgãos internos, etc) e possui a capacidade de transmitir a forças entre os tecidos e permitir um movimento harmônico.

A pele é o maior órgão do corpo humano e está sujeita a uma troca contínua de informações. Quando este sistema de entrada é perturbado por uma cicatriz, sua função e capacidade de interação com o ambiente interno e externo ficam prejudicadas.

No processo cicatricial ocorre a reparação tecidual que substitui o tecido lesado (corte) por um tecido novo. Este tecido novo, tecido conjuntivo (tecido de conexão), forma um emaranhado (aderência ou fibrose), o qual não tem a mesma elasticidade do que antes do corte, interferindo, assim, na transmissão de força e deslizamento dos tecidos corporais e consequentemente reduzindo o movimento normal (causando hipomobilidades) e gerando uma sobrecarga mecânica que resulta em dor.

 

 

O tamanho da cicatriz pouco importa, a pessoa pode ter uma cicatriz grande em sua extensão e não apresentar nenhuma disfunção relacionada a ela, bem como, ter uma cicatriz pequena e esta desencadear modificações teciduais e causar uma desregulação, alterando a postura, gerando hipomobilidades/rigidez, sobrecarga mecânica e dores, além de outros problemas como: alteração do funcionamento das vísceras, dos órgãos do sistema uro-ginecológico, respiratório e digestivo.

Quando se trata de dor lombar ou lombociatalgia (dor irradiada para as pernas), as principais cicatrizes cirúrgicas que estão relacionadas com essas dores são as cesarianas e abdominoplastias

DOR LOMBAR x CESÁRIANA e ABDOMINOPLASTIA

Na cesariana é necessário abrir sete camadas de tecidos até o útero, portanto a cicatriz deste tipo de cirurgia gera aderência entre os músculos abdominais e deles com as camadas mais profundas que envolvem os órgãos internos (útero, ovários, intestinos,etc).

Um músculo que foi submetido a um corte cirúrgico passa pelo processo de cicatrização que gera inevitavelmente uma restrição na flexibilidade do mesmo, criando, assim, um ponto fixo interno que impede a perfeita contração desse músculo e o deslizamento dos tecidos relacionados.

Essas fixações interferem de forma patológica na postura do indivíduo e nos movimentos da coluna lombar, pelve e quadril, pois ficam dando estímulos nocivos constantes, gerando compensações no corpo e propiciando o surgimento de lombalgias ou lombociatalgias.

Da mesma forma, a abdominoplastia, que embora não seja uma cirurgia que envolva o corte de tantas camadas (cirurgia para retirada de excesso de pele e gordura do abdômen), pode ser a causadora de dores lombares e alterarações posturais, seja pelo fato de esticar e suturar a pele excedente o que leva a uma perda da curvatura normal da coluna lombar e suas consequências, ou pela aderência/fibrose resultante do próprio processo de cicatrização tecidual que causa as hipomobilidades e dor.

COMO IDENTIFICAR UMA CICATRIZ QUE INDICA PROBLEMA:

Alterações de cor: tons de vermelho, variando entre tons claros e escuros;

  • Retrações;
  • Quelóides;
  • Alto-relevo;
  • Cicatriz espessa

Embora estes sinais possam nos indicar uma cicatriz patológica, só isso não é o suficiente para saber se esta cicatriz está ou não causando um bloqueio no corpo, pois mesmo que a aparência da cicatriz está boa ela é capaz de causar problemas, por isso se faz necessário realizar uma avaliação do quadro geral do paciente, realizar alguns testes e palpações para aí verificar o quanto esta cicatriz está influenciando na postura e/ou dor.

TRATAMENTO

Existem muitas pessoas que possuem cicatriz e vivem sem dor lombar ou qualquer outro tipo de dor, a causa da dor é muito particular de cada indivíduo e essas alterações decorrentes das cicatrizes (seja por cirurgias estéticas, renais, retirada de vesícula biliar, cirurgias estomacais, ginecológicas, cesáreas, dentre outras) se manifestam em alguns casos, podendo repercutir em qualquer parte do corpo.

Se existir essa associação, a qual é detectada após todo o processo de diagnóstico de um fisioterapeuta osteopata ou terapeuta manual capacitado, o tratamento consiste em utilização de técnicas que promovam a melhoria da região da cicatriz e demais bloqueios, através deste tratamento especializado e direcionado para cada paciente, o esperado é a diminuição dos sintomas, com melhoras significativas da mobilidade do corpo, da rigidez muscular e do quadro de dor.

 

Ana Paula S. Gobo – Fisioterapeuta  (CREFITO 215176-F)

Graduada em Fisioterapia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE, Formação em Terapia Manual pelo ITAP, Pós-Graduanda em Osteopatia pela Escola de Osteopatia de Madrid, Fisioterapeuta do ITC Vertebral – Unidade Blumenau

(47) 3066-1330 / 99124-7181
E-mail: blumenau@itcvertebral.com.br

O Blumenauense
Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

MAIS LIDAS