domingo, 19 setembro 2021
InícioGeralVocê conhece a história desse castelinho atrás do Teatro Carlos Gomes?

Você conhece a história desse castelinho atrás do Teatro Carlos Gomes?

castelinho Namy Deeke

Quando eu era criança, sempre que passava pela rua Namy Deeke, eu imaginava de quem seria esse castelinho e como seria por dentro. Talvez isso também aconteceu com você e por isso compatilhei esse depoimento do Ivo Prim, neto do ex-proprietário, e que publicou a história dessa residência com arquitetura única no Grupo Antigamente Blumenau.

Ivo PrimTenho a satisfação de publicar uma foto e dividir com todos da comunidade, o “Castelinho da Fanny e do Tonico”. Construído nos anos 50 pelos meus avós maternos Antônio Euzébio Reinert e Stefânia Michels Reinert, a residência ainda se encontra localizada na Rua Namy Deeke (à época da inauguração Rua Brusque) número 111. Ela foi palco de muitas festas e reuniões de família e também serviu de cenário para algumas cenas do filme “Férias no Sul”, com David Cardoso. Meus avós também lá receberam o então candidato a Presidência da República, Jânio Quadros.

Eu morei nessa casa, desde o meu nascimento em 1970, até Dezembro de 1983 quando a casa foi vendida para o Banco Francês e Brasileiro, anos depois incorporado pelo Banco Itaú. Hoje, salvo engano, pertence à Ross Imóveis.

Projeto de um arquiteto alemão, o castelinho replica alguns traços de castelos da Baviera, incluindo uma “torre de observação” na parte mais alta da sua estrutura.

No final dos anos 90 a casa foi usada como base para a Mostra Bordeaux mas os ambientes criados não respeitavam os ambientes originais.

Essa é uma das poucas fotos existentes que mostra, o esplendor da casa sem os pinheiros plantados à sua frente e foi tirada pouco depois da sua inauguração. Com 5 quartos na parte superior, sala de jantar, copa, cozinha, bar e 3 salas de estar, o projeto causou certo furor ao  incorporar “inacreditáveis” 3 banheiros na sua estrutura interna, considerado um exagero à época.

Com mais de 40 janelas no andar térreo, algumas com mais de 2 metros de altura e 6 portas de acesso, o castelinho seria hoje um caso de stress para qualquer sistema de segurança.

Foto e texto de Ivo Prim

O Blumenauense
Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

MAIS LIDAS