sábado, 27 novembro 2021
InícioGeralNavegantes diz que Itajaí não fornece água suficiente, acusação contestada com vários...

Navegantes diz que Itajaí não fornece água suficiente, acusação contestada com vários argumentos

 

Uma das principais reclamações de quem conseguiu férias ou uma folga neste verão no Litoral catarinense é a falta de água. Não importa o ano, o problema nunca é solucionado. É o caso de Navegantes (SC), onde há muita reclamação sobre a falta do líquido precioso.

Uma polêmica surgiu desde que o município escreveu uma nota no site oficial, dizendo que o município recebe água abaixo da quantidade necessária para atender moradores e municípios. A Secretaria de Saneamento Básico de Navegantes – SESAN diz que a Semasa de Itajaí não está repassando a quantidade devida de água para o município vizinho.

 

 

Conforme a SESAN, o sistema de telemetria comprova que a quantidade de água enviada está muito abaixo do necessário, principalmente nos momentos em que aumenta o consumo.O Semasa tem a obrigação contratual de enviar para Navegantes cerca de 300 litros de água por segundo, no entanto, o gráfico da telemetria estaria mostrando que no dia 2 de janeiro de 2019, em um horário de pico, entre 11h e 14h, foram repassados menos de 160 l p/s. O mesmo gráfico comprova que a quantidade de água só aumenta, por pouco tempo, na madrugada, quando o consumo é menor. Em razão dessa situação, o município notificou o Semasa e informou à Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento – ARIS do problema.

Segundo a Sesan, no reservatório Travessia Navegantes 1, no bairro São Domingos 1, será construído um novo com maior capacidade de armazenar aproximadamente 3 milhões de litros de água. O projeto deve ser entregue até final de janeiro, para poder iniciar a licitação. A intenção da prefeitura de Navegantes é construir ainda mais dois reservatórios com capacidade de armazenamento de 3 milhões de litros de água cada um, nos bairros Meia Praia e Volta Grande.

Está sendo realizada uma licitação para levar o abastecimento de água até o bairro Porto Escalvado. Logo em seguida, nova licitação deverá beneficiar a localidade de Areias e bairro Escalvados, além da colocação de 10 caixas de água de 20 mil litros, que estarão em operação ainda nessa temporada. A nota lembra que o abastecimento de água dos bairros Hugo de Almeida e Pedreiras não é fornecido pela Sesan, mas pelos municípios de Ilhota (Águas de Ilhota) e Penha (Águas de Penha). Já estudos para ampliar a rede de água também nesses bairros.

Quanto à captação de água por Navegantes, a Sesan informa que a outorga provisória está pronta, faltando a licitação do projeto da estação de tratamento. Assim que o projeto estiver pronto, os licenciamentos ambientais podem ser solicitados, para conseguir a outorga definitiva – um investimento de cerca de 50 milhões de reais.

 

O QUE DIZ A PREFEITURA DE ITAJAÍ

 

O Serviço Municipal de Água, Saneamento Básico e Infraestrutura – Semasa de Itajaí repudiou veementemente as informações divulgadas por Navegantes, que considerou inverídicas. A nota foi publicada às 18h desta segunda-feira (7) no site da prefeitura de Itajaí.

Sobre “o gráfico da telemetria mostra que no dia 2 de janeiro de 2019, em um horário de pico, entre 11h e 14h, foram repassados menos de 160 litros de água por segundo”, a Sema diz que Navegantes cita apenas a Travessia 1. Essa é uma das duas tubulações que levam água ao município. Nesse mesmo período, Itajaí afirma que a Travessia 2 enviou na média mais 73,48 litros por segundo, que somados são mais de 233 litros por segundo.

A SEMASA também diz que nunca recebeu um pedido formal da prefeitura de Navegantes, algum órgão ou autarquia, solicitando o fornecimento de 300 litros por segundo. Além disso, desconhece que para chegar a esse volume, foi elaborado algum estudo ou ensaio levando em conta os cálculos complexos sobre a relação entre consumo, pressão, recalque, vazão e reservação da água tratada.

Os compromissos entre Semasa e Navegantes estão firmados em dois documentos oficiais: o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) nº 0007/2013 e o Contrato de Fornecimento de Água 133/2013. Em nenhum momento foi estabelecida quantidade mínima de fornecimento, muito menos que deveria ser de 300 litros por segundo.

Segundo a SEMASA, o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) nº 0007/2013, estabelece uma série de obrigações para serem cumpridas por Navegantes, a maioria com impacto direto na capacidade de fornecer ou deixar faltar água tratada. Entre as principais estão (1) construir reservatórios, (2) pesquisa e conserto de vazamento em toda a rede de distribuição e (3) inspeção para eventual troca em todos os hidrômetros com mais de cinco anos de uso instalados na cidade. O Semasa desconhece se as medidas foram cumpridas adequadamente, principalmente levando em conta que a mesma nota da prefeitura de Navegantes afirma que ainda serão construídos três reservatórios na cidade.

A NBR 12218 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) determina no item 5.4.1 que a pressão nas tubulações distribuidoras, como as duas que levam água para Navegantes, devem permanecer com mínimo de 10 metros de coluna d´água (mCa). Respeitando esse parâmetro, Navegantes tem à disposição toda a água que tiver capacidade de armazenar e distribuir para os diversos bairros da cidade. O Semasa nunca diminuiu ou restringiu a oferta de água para a cidade vizinha.

O Semasa reafirma o compromisso de continuar investindo na melhoria do complexo sistema de captação, tratamento, armazenagem e distribuição de água potável para a população de Itajaí e Navegantes.

 

O Blumenauense
Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

MAIS LIDAS