domingo, 26 setembro 2021
InícioGeralMinistro português convoca reunião para tratar de incêndio, mais de 60 morreram

Ministro português convoca reunião para tratar de incêndio, mais de 60 morreram

 

Por Marcelo Brandão, da Agência Brasil

O ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural de Portugal, Capoulas Santos, convocou uma reunião interna para avaliar as medidas de apoio à região atingida pelo incêndio em Pedrógão Grande, distrito de Leiria. O incêndio florestal de grandes proporções teve início na tarde desse sábado (17/6/17) e já há mais de 60 mortes.

“Capoulas Santos esteve hoje no terreno, acompanhado pelo secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, e convocou uma reunião interna para analisar a situação e abordar possíveis medidas de apoio, bem como a respectiva implementação, tendo em conta a evolução dos acontecimentos”, segunda nota do ministério, sem especificar, no entanto, a data do encontro.

De acordo com o comunicado, o ministro manifestou pesar pela tragédia. “O ministro lamenta profundamente as mortes dos cidadãos na sequência do incêndio e manifesta total solidariedade para com as famílias enlutadas, municípios afetados por esta catástrofe e os bombeiros que combatem as chamas”.

No início da tarde deste domino (final da tarde em Portugal), o combate às chamas mobilizava mais de 830 agentes, 260 veículos e dez meios aéreos. O governo português chegou a divulgar que 62 pessoas haviam morrido, mas o número foi atualizado pelo secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes. Até o momento, são 61 mortos.

Alemanha oferece ajuda

O presidente alemão Frank-Walter Steinmeier afirmou hoje em uma mensagem enviada ao chefe de Estado português que a Alemanha partilha o luto de Portugal pelas vítimas do incêndio no distrito de Leiria e já colocou o seu apoio à disposição.

“Nós alemães partilhamos o luto perante esta terrível catástrofe, partilhamos a dor dos familiares e amigos das vítimas, bem como de todas as portuguesas e portugueses”, completou Steinmeier.

*com informações da Agência Lusa | Edição: Amanda Cieglinski

O Blumenauense
Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

MAIS LIDAS