domingo, 19 setembro 2021
InícioEsporteMesmo com queda na chegada, Tamiris é ouro nos 100 metros

Mesmo com queda na chegada, Tamiris é ouro nos 100 metros

Momento exato da queda da atleta Tamires de Lis, de JoinvilleReprodução

TV Fesporte/Caio Santos, edição: Júlio Pereira

Os olhares, os flash, as câmeras de TV estavam apontados para ela. O aquecimento, a concentração, a saída rápida. Tudo foi feito como nas vezes anteriores e o script se desenhava como um filme em que todos sabiam o final: uma vitória tranquila, sem sustos. Não foi. Quis o destino que a badalada atleta Tamiris de Liz, de Joinville, sofresse sua primeira queda na prova que a consagrou: os 100 metros. Foi no finalzinho, quando a “Filha do Vento” cruzou a linha de chegada, deu um passo em falso e desabou ao chão. Na queda bateu forte a cabeça na pista e ficou se contorcendo de dor.

Nas arquibancadas do Sesi o silêncio inquietante sintetizava a preocupação do público com a maior revelação do atletismo catarinense dos últimos anos. Apesar do susto o final foi feliz: primeiro lugar com o tempo de 11s69, ainda um pouco abaixo do recorde da prova 11s58 estabelecida por ela mesma nos Jasc 2011, em Criciúma. “Não sei o que aconteceu. Quando me dei conta já estava no chão”, lembra a campeã, após receber atendimento médico e o alento de sua treinadora Margit Weise. Fernanda Araújo, de Brusque, ficou com a medalha de prata com o tempo de 11s73, e Anke Zimmermann, de Blumenau, com a de bronze ao cravar 11s98.

Aos 18 anos Tamiris já tem no currículo o título de campeã sul-americana juvenil na prova dos 100 e 200 metros, campeã sul-americana de menores, duas medalhas de bronze no campeonato mundial juvenil. É tricampeã da Olesc e Joguinhos e Jasc. Nos Jasc é recordista das provas dos 100 e 200 metros. Em 2012, com apenas 16 anos foi atleta reserva da seleção brasileira nas Olimpíadas de Londres.

Agora, Tamiris acaba de ser convocada pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) para realizar um período de treinamento na Universidade de Miame (EUA). O projeto visa preparar a atleta para ser titular no revezamento 4 x 100 do Brasil nas Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro.

Quem também brilhou no último dia do atletismo foi Lílian Meurer, de Blumenau, que bateu o recorde no lançamento do dardo com a marca de 52m37cm, conseguindo baixar ainda mais recorde anterior de 51m26 que era dela mesma.

Outro que brilhou no dia foi Moacir Zimmermann, de Blumenau, medalha de ouro no 10 mil metros da marcha atlética com o tempo de 41min28s. É a sexta medalha de ouro que o atleta conquista na história dos Jasc.

Veja o vídeo

 

Gisele Vizzotto | Fonte: Fesporte

O Blumenauense
Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

MAIS LIDAS