domingo, 5 dezembro 2021
InícioGeralIFFSC da Furb firma acordo com a NASA para duas missões espaciais

IFFSC da Furb firma acordo com a NASA para duas missões espaciais

 

O projeto Inventário Florístico Florestal de Santa Catarina – IFFSC – firmou acordo de intercâmbio de dados com a NASA, a Agência Espacial dos EUA, válido para duas novas missões espaciais, a GEDI Mission (Global Ecosystem Dynamics Investigation Lidar), liderada pela Universidade de Maryland, e a NISAR Mission, com tecnologia desenvolvida pelo California Institute of Technology (Caltech), Universidade na qual está instalado o Jet Propulsion Laboratory da NASA.

Segundo o professor da FURB, Alexander Vibrans, coordenador do IFFSC, os dados de campo do IFFSC, projeto desenvolvido pela FURB desde 2007, em parceria com a UFSC, UDESC e Epagri, serão usados para calibrar os sensores orbitais e validar os dados captados por ambas as missões. Em contrapartida, o IFFSC terá acesso privilegiado aos dados de sensoriamento remoto destas missões.

A GEDI Mission (pronunciada como JEDI da série Star Wars), lançada em 5 de dezembro deste ano, é pioneira porque pela primeira vez coloca em órbita, mais especificamente a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS), um potente laser scanner com tecnologia LiDAR. Até o presente momento sensores LiDAR são usados apenas a bordo de aeronaves. Este sensor permitirá monitorar detalhadamente o ciclo dos estoques do carbono terrestre, com foco nas florestas, e modelá-lo diante de cenários de mudanças climáticas.

A missão NISAR colocará em órbita em 2022 um satélite com um sensor RADAR na banda L, dedicada à captura de dados especificamente de florestas secundárias . Estas têm estoque de biomassa relativamente baixo (menor que 150 toneladas por hectare), mas são relevantes porque tem alto potencial de fixação de carbono atmosférico, uma vez que estão em fase de crescimento e, com isso em fase de acúmulo de biomassa (cerca de 50% da biomassa seca das florestas é constituída por carbono).

“Consistentes dados de campo são indispensáveis para a calibração dos sensores após o lançamento e para a validação das estimativas geradas a partir dos seus dados. Os dados do IFFSC são internacionalmente reconhecidos pela sua consistência, detalhamento, qualidade, abrangência espacial e atualização periódica; constituem o maior banco de dados de inventário florestal de regiões tropicais/subtropicais no hemisfério Sul fora da Austrália”, comenta o professor Vibrans.

Por esta razão, os dados são demandados por pesquisadores como os ligados aos projetos da NASA, à Global Forest Biodiversity Initiative, à sPlot Global Vegetation Database (www.idiv.de), Neotropical Tree Communities database (TreeCo, USP), entre outros. Teses de doutorado utilizando o banco de dados do IFFSC são desenvolvidos na FURB (Daniel A. da Silva), UFRGS (Rodrigo Bergamin, Arthur Rodrigues), UFPR (Júlio Bastos), University of Reading (Inglaterra, Oliver Wilson), entre outros.

As informações foram divulgadas pela jornalista Giovana Pietrzacka, da Furb.

O Blumenauense
Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

MAIS LIDAS