sexta-feira, 17 setembro 2021
InícioEventosBombeiros e policiais militares de SC participam de treinamento de mergulho

Bombeiros e policiais militares de SC participam de treinamento de mergulho

 

Fotos: CBM/SC

De outubro a novembro de 2018, foi realizado em Itapiranga (SC), no extremo oeste do Estado, um treinamento de mergulho autônomo. Participaram 14 militares, doze dos bombeiros (BM) e dois policiais. O objetivo era relembrar algumas atividades realizadas durante a formação dos mergulhadores e outras novas, para aperfeiçoar as técnicas e agregar novos conhecimentos.

 

 

 

Os exercícios do treinamento coordenado pelo capitão BM Michael Magrini e pelo 2º Sargento BM André, foram divididos em atividades teóricas e práticas. Um deles era mergulhar em espaços confinados vendados, simulando as condições de baixa visibilidade como acontece na maioria das situações.

Em outras atividades, foram treinados a utilização de EPR para combater incêndios em meios líquidos, a desvencilha de redes de pesca, a utilização de equipamento hidráulico de resgate veicular em mergulhos, entre outros.

 

 

Os militares tiveram a oportunidade de assistir de forma inédita no Brasil uma palestra com Apakorn Yukongkaew, Contra-Almirante da Marinha Real Tailandesa. O militar deu detalhes sobre o resgate dos doze meninos do time de futebol, que ficaram presos na caverna em Tham Luang, na província de Chiang Rai – Tailândia. Ele palestrou no encerramento do XVIII SENABOM (Seminário Nacional dos Bombeiros), que ocorreu em Foz de Iguaçú (PR) entre os dias 21 e 23 de novembro.

Homenagem a um herói tailandês

Também foi prestada uma emocionante homenagem ao mergulhador aposentado pela Marinha Real Tailandesa, Saman Gunan. Na época ele saiu de férias para ser voluntário da operação e morreu durante a operação.  Gunan ajudava no fornecimento de cilindros de oxigênio tanto para os garotos como para os socorristas, que se alternam ao longo de um tortuoso trajeto de 1,7 quilômetro entre a caverna e a base de reabastecimento mais próxima.

Não se sabe ainda se o oxigênio de seu equipamento acabou, se o cilindro estava com defeito ou se faltou ar em alguma gruta, mas o fato é que o coração de Gunan parou de bater, e as tentativas de reanimá-lo foram inúteis.

Ele certamente representa o espírito de qualquer bombeiro do mundo, que arrisca a sua vida para salvar a dos outros. Merecida homenagem.

 

O Blumenauense
Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

MAIS LIDAS