sexta-feira, 21 janeiro 2022
InícioGeralApenas 13% das residências fizeram recadastramento de saúde em Blumenau

Apenas 13% das residências fizeram recadastramento de saúde em Blumenau

 

 

 

Foto: Arcanjo 03

 

A Secretaria de Promoção da Saúde (Semus) iniciou no dia 6 de abril um recadastramento para atualizar dados da população e entender melhor o perfil de saúde das famílias em Blumenau. Até esta segunda-feira, dia 11 de maio, 12.916 pessoas haviam se cadastrado. Esse número representa aproximadamente 5,2 mil domicílios blumenauenses, cerca de 13% o total de residências do município.

O recadastramento pode ser feito pelo aplicativo do Pronto Mobile nos telefones com Android ou IOS. O responsável pelo domicílio insere CEP, demais dados como endereço e as informações dos outros integrantes da família, incluindo nome, data de nascimento e telefone celular. A expectativa é de que 350 mil habitantes estejam no recadastramento, totalizando 40 mil residências. O objetivo é reunir a maior quantidade possível de dados atualizados e desenvolver ações de saúde voltadas à população de risco.

Com as informações inseridas no sistema e por meio de geolocalização, a Semus vai poder apresentar relatórios com mapas de calor, que indicam os locais em que a população apresenta determinados problemas de saúde em maior quantidade, por bairros e regiões de Blumenau. A expectativa é poder, por exemplo, saber se na região sul há mais pacientes com hipertensão e desenvolver atividades de prevenção e promoção da saúde neste sentido. Também é possível indicar fatores de risco associados ao estado de saúde das pessoas que moram no CEP informado, como diabetes, gestação, hipertensão, problemas respiratórios ou ainda se é acamado.

Os dados da ferramenta também serão utilizados já neste momento de pandemia do Coronavírus, para ações voltadas ao enfrentamento da Covid-19. Com base nas novas informações, será possível identificar residências onde crianças e idoso coabitam, e relacionar riscos.

O Blumenauense
Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

MAIS LIDAS