quarta-feira, 1 dezembro 2021
InícioGeralVídeo: médica explica como será o estudo com azitromicina e hidroxicloroquina em...

Vídeo: médica explica como será o estudo com azitromicina e hidroxicloroquina em Blumenau

 

 

 

 

A entrevista coletiva realizada na noite desta segunda-feira (13/04/20) na prefeitura de Blumenau, contou com a presença da infectologista, Dra. Sabrina Sabino, do Hospital Santo Antônio. Ela é uma das coordenadoras do estudo nacional que pesquisa o efeito dos medicamentos azitromicina e hidroxicloroquina em pacientes hospitalizados com a Covid-19.

A coalizão iniciada pelo Hospital Israelita Albert Einstein, Hospital do Coração (HCor), Hospital Sírio-Libanês, BP (A Beneficência Portuguesa de São Paulo), Rede Brasileira de Pesquisa em Terapia Intensiva (BRICNet), em parceria com o Ministério da Saúde e apoio da empresa EMS, foi lançada no dia 23 de março de 2020 com o propósito de avaliar a eficácia e segurança de potenciais terapias para pacientes com o novo coronavírus.

Os outros coordenadores do estudo em Blumenau, são o Dr. Adrian Paulo Morales Kormann, com participação da Dra. Karine Gerent, Dr. Leonardo Rodrigues da Silva e Paloma Farina de Lima. Essa iniciativa, desde seu lançamento, vem contando com a adesão de diferentes unidades de saúde em todo país para que sejam realizados três eixos de pesquisa.

Inicialmente o Hospital Santo Antônio, iniciou a medicação em estudo com a fase Coalizão II (envolvendo pacientes graves), e mais recentemente passou a fazer a medicação em pacientes que se enquadram na fase coalizão I (paciente leves a moderados).

Os resultados preliminares, que deverão estar disponíveis dentro de 60 a 90 dias do lançamento, serão essenciais para fornecer o melhor tratamento aos pacientes com a COVID-19 no Brasil.

Confira os detalhes de como está sendo realizado o estudo em Blumenau nesse vídeo editado com as partes em que participam também o prefeito de Blumenau, Mário Hildebrandt; e o Secretário de Promoção da Saúde, Winnetou Krambeck.

 

O Blumenauense
Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

MAIS LIDAS