sábado, 27 novembro 2021
InícioEconomiaTrilhão de impostos chega mais cedo para os brasileiros

Trilhão de impostos chega mais cedo para os brasileiros

impostosNesta terça-feira, dia 12 de agosto, os brasileiros terão destinado R$ 1 trilhão em tributos aos cofres dos governos federal, estaduais e municipais este ano. A cada ano, o trilhão chega mais cedo: em 2008, primeiro ano em que a carga fiscal atingiu a casa do “tri”, ela foi alcançada em 15 de dezembro; em 2010, em 26 de outubro; em 2012, em 29 de agosto.

Na contramão dessa bonança estão os resultados da economia brasileira. A projeção para o crescimento da economia foi reduzida pela 11ª semana seguida, e o PIB deve fechar 2014 em 0,81%, segundo o Boletim Focus, do Banco Central. Para 2015, os economistas consultados pelo BC prevêem uma expansão de apenas 1,20%. A expectativa para o IPCA em 2014 é de 6,26% – quase no teto da meta do governo, que é de 4,5% com margem de dois pontos percentuais para cima e para baixo. A projeção para os preços administrados, uma das principais preocupações em relação à inflação, é de alta de 5,10% em 2014.

Para o diretor-executivo da Fecomércio SC, Marcos Arzua, a carga tributária é um elemento fundamental para o aumento do Custo Brasil. Segundo o dirigente, o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário calculou que, em 2013, o montante pago com impostos chegou a 36,42% do PIB.

“Além disso, não apenas o montante dos impostos é grande, mas também a complexidade tributária, fazendo com que as leis ambientais, trabalhistas, fiscais e demais regulamentos, encareçam o custo das empresas na operacionalização do pagamento de seus impostos. Enquanto outros países gastam contratando engenheiros, desenvolvedores de softwares, designers e inúmeros outros profissionais envolvidos diretamente no processo produtivo, no Brasil se contratam advogados e contadores, com o objetivo de apenas manter o negócio em funcionamento sem riscos de pesadas fiscalizações punitivas. E isso gera impactos diretos na competitividade interna e internacional de nossas empresas”, afirmou Arzua.

via FECOMÉRCIO

O Blumenauense
Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

MAIS LIDAS