terça-feira, 30 novembro 2021
InícioGeralTribunal italiano decide que Pizzolato não será mais extraditado

Tribunal italiano decide que Pizzolato não será mais extraditado

Com extradição autorizada pelo governo italiano, Henrique Pizzolato fugiu do Brasil usando passaporte falsoDivulgação/Interpol
Henrique Pizzolato fugiu do Brasil usando esse passaporte falso | Divulgação/Interpol

O ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato não será mais extraditado para o Brasil após decisão do Tribunal Administrativo Regional (TAR) do Lacio, que acatou recurso da defesa de Pizzolato contra a decisão do ministro da Justiça da Itália, Andrea Orlando.

Pizzolato, que foi condenado no processo na Ação Penal 470, o processo do mensalão, em 2013 e fugiu para a Itália com um passaporte falso, seria extraditado para o Brasil para cumprir a pena de 12 anos e sete meses de prisão no Brasil por lavagem de dinheiro e peculato. Ele foi detido em fevereiro de 2014, em Maranello, por causa de documentação irregular.

O tribunal marcou uma audiência para o dia 3 de junho para discutir o caso. Até esta data Pizzolato ficará na Itália, segundo seu advogado, Alessandro Sivelli.

De acordo com o processo, o ministro da Justiça italiano tomou a decisão de extraditar Pizzolato com base em novos documentos enviados pelo governo brasileiro, aos quais a defesa não teve acesso. A defesa também destaca que, recentemente, uma lei aprovada no Parlamento italiano permite que cidadãos do país condenados em outros Estados cumpram suas penas na Itália.

O tribunal é uma instância administrativa bastante utilizado na Itália para contestar decisões judiciais ou instuitucionais. Se o a corte acatar o recurso de Pizzolato, o caso seguirá para o Conselho de Estado, que definirá se ele poderá cumprir a pena no país.

Agência Brasil, com informações da Ansa

O Blumenauense
Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

MAIS LIDAS