quarta-feira, 27 outubro 2021
InícioGeralTJSC deu 30 dias para governo do Estado resolver superlotação de presos...

TJSC deu 30 dias para governo do Estado resolver superlotação de presos em Blumenau

 

 

 

Penitenciária Industrial de Blumenau

 

 

A 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), sob a presidência do desembargador Júlio César Machado Ferreira de Melo, realizou na tarde desta terça-feira (18/02/20) uma audiência de conciliação em mandado de segurança sobre as interdições parciais do Presídio Regional e da Penitenciária Industrial de Blumenau.

As duas unidades estão superlotadas e, por isso, permanecem interditadas desde o fim de 2019. Ficou acordado que a Secretaria de Administração Prisional apresentará propostas concretas e viáveis para resolver o problema da superlotação e das contrapartidas não cumpridas com o município no prazo de 30 dias.

O Presídio Regional tem capacidade para 451 detentos, mas no momento da interdição tinha 938 homens. Atualmente, a unidade prisional tem 797 presos. Já a penitenciária tem 611 vagas, mas abriga hoje 840 condenados.

Além dos demais integrantes da 3ª Câmara Criminal, desembargadores Getúlio Corrê, Ernani Guetten e Leopoldo Augusto Brüggemann, este também na condição de coordenador do Grupo de Monitoramento e Fiscalização (GMF/TJSC), e do procurador do Ministério Público Pedro Sérgio Steil, a sessão contou com a presença do prefeito de Blumenau, Mário Hildebrandt; do procurador-geral do Estado, Alisson de Bom de Souza; e do juiz de execução penal de Blumenau, Sandro Pierri.

O magistrado Sandro Pierri fez uma radiografia do Presídio Regional e destacou a péssima estrutura física. Não há espaço para receber as 80 visitas diárias, por exemplo, e há um déficit no número de agentes prisionais. Na Penitenciária Industrial também não existe local para trabalho e estudo, apontou o magistrado.

O secretário adjunto Edemir Alexandre fez uma série de sugestões com possibilidade de implementação a curto, médio e longo prazos. “A nossa proposta é a maximização do uso da tornozeleira eletrônica, a manutenção das 800 vagas no Presídio Regional e a concessão do alvará de construção pela prefeitura para a ampliação da penitenciária em 206 vagas. A médio prazo, vamos ampliar a unidade prisional de Indaial em 78 vagas, a de Rio do Sul em 392 vagas e reativar a de Ituporanga com 60 vagas. A longo prazo, buscamos a construção de uma unidade no formato de participação público-privada, com capacidade para 1.900 a 3.000 vagas”, sugeriu.

Diante das colocações, o prefeito Mário Hildebrandt confirmou que o município não é contrário às unidades prisionais, mas cobrou as contrapartidas prometidas pelo Estado que não foram cumpridas. Entre elas estão a desativação do presídio e a doação da área, a construção de áreas de lazer, calçadas, ampliação da rede de água e até ponto de ônibus. O prefeito também quer discutir o plano diretor da região que abriga o novo complexo prisional.

Com as ponderações de todos os envolvidos, o desembargador Júlio César Machado Ferreira de Melo atendeu a sugestão do procurador Pedro Steil e determinou o prazo de 30 dias para que o Estado apresente propostas concretas. Isso porque a simples ampliação da Penitenciária Industrial em 206 vagas, por exemplo, não atende a superlotação atual.

Fonte: Tribunal de Justiça de SC

O Blumenauense
Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

MAIS LIDAS