Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Municípios de SC terão autonomia sobre as decisões no transporte coletivo e volta às aulas

 

 

 

Foto: Marcelo Martins

 

O último decreto editado pelo governo de Santa Catarina, estabeleceu que atividades como o transporte coletivo, seriam liberados a partir do dia 31 de maio. O governador Carlos Moisés, após um encontro em Joinville (SC) nesta quarta-feira (27/06/20), disse que a partir do dia 1º de junho (segunda), o estado vai usar uma nova ferramenta epidemiológica que irá permitir a gestão regionalizada no combate a Covid-19.

O sistema permitirá que os municípios definam as políticas e restrições, de acordo com a sua realidade, incluindo o transporte coletivo e a volta às aulas. Através da ferramenta, poderão ser tomadas decisões independentes dos decretos.

“Cada região poderá tem uma gestão dissociada do todo estadual, ou seja, não há mais um decreto dizendo que está proibido o transporte coletivo”, disse Carlos Moisés. São os gestores locais que irão avaliar a situação do seu município para determinar se é seguro ou não o retorno das atividades. O governador lembrou que em Santa Catarina só permanecem suspensos o transporte coletivo, as aulas presenciais e a realização de eventos. As três situações estão contempladas nessa ferramenta.

O governador alertou que estudos apontam que nos próximos dias está previsto um grande aumento no número de aumento nos casos positivos do novo coronavírus em Santa Catarina. Na tarde de hoje (27), o Mário Hildebrandt vai para Florianópolis ouvir exatamente isso do governador, ou seja, já foi divulgado que os prefeitos terão autonomia. Moisés não deu detalhes sobre a ferramenta que servirá como norte para as decisões.

Outra novidade na área da saúde, é que os profissionais da categoria que antes eram remunerados por produtividade poderão ter uma compensação. Eles tiveram a sua renda prejudicada após a suspensão das cirurgias eletivas e dos procedimentos ambulatoriais no estado.

“Como houve um impacto salarial nessas categorias, estamos ajustando uma medida provisória. Ontem (26) alinhei esse assunto com o presidente da assembleia legislativa, Júlio Garcia, já que há urgência em atender esses servidores que estão à frente do combate ao coronavírus”, finalizou o governador.

Tags

Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

Posts relacionados

Top