quinta-feira, 2 dezembro 2021
InícioGeralMulher encontrada esquartejada em Ituporanga é reconhecida pela família em Blumenau

Mulher encontrada esquartejada em Ituporanga é reconhecida pela família em Blumenau

 

Perto do anoitecer de sexta-feira (25/01/19), a Polícia Civil de Ituporanga foi informada sobre a localização de um corpo humano na barragem Sul, em Ituporanga (SC). O tronco da vítima estava preso nos entulhos da grade das comportas.

Uma equipe de investigação comandada pelo delegado Bruno Reis foi ao local para apurar as circunstâncias que fizerem ele parar lá. Os policiais identificaram que tratava-se do corpo esquartejado de uma mulher, que tinha uma tatuagem de dados na virilha.

O Instituto Geral de Perícias recolheu o corpo e apurou que estava morto de três a cinco dias. Entre a noite de sexta e madrugada de sábado (26), os policiais iniciaram as diligências e recolheram diversos relatos, quando descobriram que a vítima morava há cerca de quatro meses em uma residência no bairro Gabiroba, em Ituporanga.

Após identificarem a mulher como Neomar da Rosa, conhecida como Mary Rosa, de 25 anos, os policiais iniciaram as buscas por suspeitos, que levaram ao companheiro de 33 anos.

As investigações continuaram no sábado e domingo. Na segunda-feira (29), o delegado conseguiu na justiça a prisão temporária do suspeito. Na delegacia, ele teria confessado a autoria do crime e que esquartejou a vítima para ocultar o corpo.

Segundo o depoimento do suspeito, ele já estava pensando em se separar dela há algum tempo. Na noite de sábado (19), o casal foi à uma festa no município vizinho e acabaram brigando. Ele saiu do local e disse ter ido para casa, deixando Neomar sozinha no local, onde ela conheceu um homem e se relacionou com ele.

Na manhã seguinte, o companheiro soube do que aconteceu, e quando ela voltou para casa, eles discutiram e aconteceu o homicídio. Ao delegado, ele disse que empurrou a vítima, e de forma informal depois, completou a informação dizendo que bateu na cabeça dela com um martelo.

Para se livrar do corpo, ele a esquartejou e espalhou partes junto com os pertences dela em vários pontos da cidade. Até ontem (28) nada mais foi encontrado. O delegado Bruno Reis disse que as diligências irão continuar até que o caso esteja totalmente esclarecido, e as provas possam ser encaminhadas à justiça.

Reis disse que o suspeito não tinha passagens criminais. Mas em 2010 e 2012 foram registrados dois boletins de ocorrências contra ele por violência doméstica. Em uma delas, ele ameaçou sua ex-companheira com uma faca no pescoço. Essas informações foram fundamentais para chegar até ele como principal suspeito do crime.

As investigações foram realizadas de forma que ele não desconfiasse da ação da polícia. O delegado disse que o suspeito continuava na cidade e a prisão foi fundamental para que sejam apuradas mais dados na residência do casal, sem que ele fuja ou atrapalhe as investigações.

Após finalizados os procedimentos na delegacia de Ituporanga, o suspeito será encaminhado para o Presídio de Rio do Sul. Na unidade prisional ele ficará a disposição do DEAP, que decidirá se fica lá ou será transferido para outro presídio.

Todas essas informações foram divulgadas pela Rádio Sintonia de Ituporanga, que entrevistou o delegado Bruno Reis. O corpo de Neomar da Rosa, foi reconhecido pelo pai através da tatuagem. Ele mora no distrito da Vila Itoupava, em Blumenau.

O Blumenauense
Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

MAIS LIDAS