sábado, 18 setembro 2021
InícioGeralMorre de Covid-19 aos 85 anos, o ator Tarcísio Meira

Morre de Covid-19 aos 85 anos, o ator Tarcísio Meira

Ele e a esposa Glória Menezes deram entrada no hospital na última sexta-feira (9/08)

Na manhã desta quinta-feira (12/08/21), morreu um dos ícones do teatro, televisão e cinema do Brasil. Tarcísio Meira, de 85 anos, estava internado com Covid-19 na UTI do Hospital Albert Einstein, em São Paulo (SP) e não resistiu às complicações da doença.

Ele e sua esposa, a atriz Glória Menezes, de 86, deram entrada na unidade na última sexta (6) após serem diagnosticados com o SARS-COV-2. Tarcísio chegou a ser intubado e estava fazendo continuamente hemodiálise.

De acordo com o boletim médico divulgado pelo hospital, Glória está internada em um apartamento, recebe auxílio de oxigênio via nasal, mas a recuperação é considerada boa. Ambos receberam a 2ª dose da vacina contra Covid em março deste ano em Porto Feliz, no interior de São Paulo.

Ambos faziam parte dos grupos prioritários e a infecção só mostra que apesar das vacinas serem a melhor alternativa para evitar a doença, não é 100% garantida. No Senado, ao receberem a notícia da morte, os senadores na CPI da Covid fizeram um minuto de silêncio em memória ao ator.

Tarcísio Meira nasceu na cidade de São Paulo (SP) no dia 5 de outubro de 1935. A carreira teatral iniciou em 1959, e desde então, foram mais de 60 trabalhos. A estreia na televisão foi em 1961, na extinta TV Tupi, já na Globo, em 1967.

Ao longo de sua trajetória na arte, foram 60 anos em quase sempre de se destacou nas novelas, seriados, minisséries, teleteatros e telefilmes. Foram 31 peças de teatro e 22 longas-metragens, dirigidos por cineastas como Glauber Rocha, Walter Hugo Khouri, Anselmo Duarte e Bruno Barreto.

Durante uma entrevista à Globonews, Tony Ramos, amigo de longa data, se emocionou ao falar do amigo: “Eu estava esperando entrar no ar e acompanhando os companheiros, vocês todos, e ao mesmo tempo tentando entender o que de fato está… Como essas notícias nos colhem. É de uma forma dilacerante. Dilacerante.”

O Blumenauense
Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

MAIS LIDAS