segunda-feira, 6 dezembro 2021
InícioJustiçaJustiça nega prisão domiciliar para homem que queimou rosto do filho em...

Justiça nega prisão domiciliar para homem que queimou rosto do filho em chapa no sul de SC

A progressão para o regime semiaberto está prevista apenas para o dia 31 de outubro de 2022. Ele alegou que está com suspeita de tumor na fêmur.

A 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC),  negou prisão domiciliar a um homem condenado pelo crime de tortura em cidade do sul do Estado. Ele queimou o rosto do próprio filho em uma chapa de fogão, e por isso foi apenado em dois anos, oito meses e 20 dias. Por já ter cumprido pena pelos crimes de tentativa de homicídio e embriaguez ao volante, ele cumpre a atual condenação em regime fechado.

Com a suspeita de um tumor no fêmur esquerdo, o apenado requereu a prisão domiciliar. Inconformado com a negativa do juízo de 1º grau, ele recorreu ao TJSC. Argumentou que provavelmente está com câncer e requereu a prisão domiciliar humanitária, por conta do seu estado de saúde e da pandemia de Covid-19. A progressão para o regime semiaberto está prevista apenas para o dia 31 de outubro de 2022.

Durante os últimos meses, ele teve consultas com especialistas em reconstrução óssea e cirurgia do quadril. Atualmente, aguarda a realização de consulta com especialista em tumor ósseo, cuja solicitação já foi inserida no sistema.

“Ao menos no momento, nada indica que a manutenção do agravante no estabelecimento prisional impossibilite o atendimento médico que lhe é devido. Pelo contrário, as informações dão conta de que, na medida do possível, ele vem recebendo a atenção necessária”, anotou o desembargador Sérgio Rizel em seu voto.

A sessão foi presidida pela desembargadora Hildemar Meneguzzi de Carvalho e dela também participou o desembargador Norival Acácio Engel. A decisão foi unânime.

Fonte: Tribunal de Justiça de SC

O Blumenauense
Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

MAIS LIDAS