quarta-feira, 27 outubro 2021
InícioEconomiaGás Natural catarinense registra novo recorde de vendas em fevereiro

Gás Natural catarinense registra novo recorde de vendas em fevereiro

Resultado das vendas é 3,46% superior à média do mesmo mês de 2020.

A SCGÁS registrou um novo recorde histórico na média de vendas diária de Gás Natural em Santa Catarina. Em fevereiro, foram comercializados 2.147.109 m³ do insumo, valor 3,46% maior à média de fevereiro de 2020, demonstrando recuperação após o período de crise provocado pela pandemia da Covid-19.

O resultado também é 0,43% superior ao último recorde histórico registrado novembro de 2020 e 4,20% maior que as vendas de janeiro do atual exercício, que já indicavam crescimento no consumo.

Atualmente, o Gás Natural é comercializado para mais de 17 mil clientes diretos em Santa Catarina, entre indústrias, comércios, residências e postos de GNV. Somente em fevereiro, a SCGÁS conectou 181 novos clientes à sua rede de distribuição de Gás Natural, principalmente novas unidades residenciais.

As indústrias, principais consumidoras de Gás Natural no Estado, tiveram volume médio diário de 1.794.293 m³/dia, o segundo maior volume de vendas do mercado em toda a história de operação da SCGÁS. Este resultado é 6,69% superior ao de fevereiro de 2020.

Nesse setor, desde julho do ano passado verifica-se uma escalonada de recuperação atingindo sucessivos recordes históricos de consumo, indicando que a economia catarinense reage bem à crise na relação com os demais Estados do país que apresentam queda no consumo desse tipo de energia.

Recuperação também no GNV

Com distribuição de 330.368 m³/dia, o consumo de GNV (Gás Natural Veicular) cresceu cerca de 5% em relação ao primeiro mês de 2021. O volume, superior ao registrado em nove meses de 2020, demonstra recuperação após a crise provocada pela pandemia. A frota de GNV no Estado é composta por quase 110 mil veículos, segundo dados do Denatran referentes ao mês de dezembro de 2020.

O consumo de GNV cresceu cerca de 5% em relação à janeiro de 2021.

O Blumenauense
Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

MAIS LIDAS