terça-feira, 19 outubro 2021
InícioGeralFritz Müller e o museu com o seu legado

Fritz Müller e o museu com o seu legado

 

 

Blumenau é reconhecida nacionalmente pela imigração alemã e, por isso, muitos turistas são atraídos para a cidade todos os anos. Eles chegam principalmente em busca de apreciar a famosa arquitetura típica alemã do local e também para ir à Oktoberfest. Entretanto, o que muitos não sabem, é que a cidade também abriga museus interessantes e históricos para serem visitados. Dentre eles, está o Museu de Ecologia Fritz Müller, cuja sede é uma casa tipicamente alemã, construída em 1856.

Fritz Müller foi um personagem fundamental para a história da cidade, e suas descobertas continuam sendo estudadas até hoje. Por isso, esse museu merece ser visitado por quem está a turismo no local e também pelos moradores de Blumenau.

 

 

Quem foi Fritz Müller?

Fritz Müller foi um importante naturalista alemão que imigrou para Blumenau em meados do século XIX. Quando chegou ao Brasil, ele trabalhou na roça durante muitos anos, mas as observações que fazia da natureza e seus estudos ajudaram nada mais nada menos do que Charles Darwin a provar a Teoria da Evolução das Espécies.

Enquanto ainda estava na Alemanha, ele estudou Matemática, Filosofia e História Natural na Universidade de Berlim e somente não se formou também em Medicina devido ao seu ateísmo, negando-se a fazer o juramento perante Deus.

 

 

Não se sabe ao certo o motivo de sua imigração para o Brasil, mas provavelmente aconteceu devido a um descontentamento com a situação da Alemanha na época, com os desdobramentos da Revolução de 1848 e por ter sofrido perseguições políticas.

Seu período no Brasil aguçou ainda mais a sua vontade de estudar a natureza, pois ele ficou encantado com as florestas densas e os animais exóticos do país. No entanto, seu ateísmo acabou causando problemas também com Hermann Blumenau, fundador da cidade que leva seu nome. Ele temia a influência de Fritz Müller e de sua falta de religiosidade sobre o povo da cidade e, devido a isso, Müller acabou sendo deslocado para Desterro, que hoje é conhecida como Florianópolis, para dar aulas no Liceu Provincial. A partir daí, seus estudos científicos começaram a se desenvolver mais fortemente.

 

Fritz Müller e seu legado

Fritz Müller começou a desenvolver pesquisas com crustáceos a partir de 1857, mas foi em 1861, quando iniciou a leitura do livro “A Origem das Espécies”, de Charles Darwin, que começou a contribuir para as pesquisas desse então desconhecido cientista.

Seu minucioso trabalho nessa área acabou resultando em um livro chamado “Für Darwin” (“Para Darwin”), lançado apenas cinco anos depois de “A Origem das Espécies”. Essa obra ajudou a alavancar a teoria de Charles Darwin.

Müller trocou muitas correspondências com Darwin ao longo de sua vida e os dois passaram a nutrir uma amizade, apesar de nunca terem se conhecido pessoalmente. Durante a reedição do livro de Darwin, Fritz Müller foi citado diversas vezes por sua obra.

Na cidade de Blumenau, onde voltou a viver em 1867, ele começou a trabalhar como “naturalista viajante” pelo Museu Nacional do Rio de Janeiro, percorrendo muitos quilômetros pela mata catarinense para desenvolver seu trabalho e seus estudos.

Atualmente, seu legado na cidade de Blumenau está cada vez mais vivo e seu nome está por todas as partes, inclusive em grupos folclóricos que buscam manter as tradições alemãs por meio da dança.

Além disso, Blumenau realiza também muitas comemorações durante o aniversário de nascimento de Fritz Müller, com uma semana repleta de exposições e visitas guiadas, e conta com o Museu de Ecologia Fritz Müller, que tem um acervo repleto de animais empalhados, ossos de algumas espécies de animais da Mata Atlântica, fósseis, dentre outros elementos.

 

Foto: Eraldo Schnaider

 

A importância do Museu de Ecologia Fritz Müller e de outros meios na sustentabilidade

Atualmente as pessoas têm dado cada vez mais atenção a temas ligados à sustentabilidade e à preservação do planeta, por isso a obra de Fritz Müller e o acervo do museu dedicado a ele têm gerado cada vez mais interesse por parte da população local e dos turistas.

Para que a consciência das pessoas em relação à necessidade de se engajar em causas ambientais se amplie ainda mais, é muito importante ter conhecimento sobre esses estudiosos e suas descobertas. Estudando essas personagens e seus achados, passamos a ter mais argumentos e clareza de pensamento quanto às ações a serem tomadas nesse sentido. Mas, além disso, existem muitas outras maneiras de fazer com que a consciência ambiental chegue até as pessoas. Livros, filmes e aplicativos com temas relacionados ao meio ambiente e à preservação são alguns exemplos desses caminhos. Isso, atualmente pode ser notado nos mais diversas da cultura e do lazer.

 

O livro Sapiens, de Yuval Noah Harari, disponível na Amazon, também é outra importante fonte de conhecimento nessa área, pois oferece uma reflexão interessante sobre as origens da humanidade e sobre a forma como podemos progredir como sociedade em termos ambientais. Por fim, um filme de muito sucesso com a temática da sustentabilidade é Mãe!, com Jennifer Lawrence e Javier Bardem. O enredo pode ser interpretado como uma alegoria em que Jennifer representa a Mãe Terra e tenta fazer da sua casa um paraíso, mas as visitas que aparecem sem ser convidadas acabam levando-a à destruição.

 

 

 

Curiosidade: game inspirado em ambientes naturais

No jogo Plant vs Zombies, por exemplo, os moradores de um bairro devem utilizar as plantas para evitar uma invasão de zumbis. Assim, em um jogo que, além de divertir, oferece ensinamentos importantes, a natureza é colocada como heroína, nos ajudando a compreender que somos todos parte da mesma teia e que devemos trabalhar em conjunto com a Terra. Nessa mesma linha, podemos citar Mega Moolah, disponível na plataforma Betway Cassino de caça-níqueis online. Mega Moolah possui uma temática de safari e imagens com uma natureza selvagem e vibrante, oferecendo, dessa forma, uma imersão em temas relacionados ao meio ambiente e à importância de colaborarmos com a preservação do mundo natural.

O Blumenauense
Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

MAIS LIDAS