quarta-feira, 1 dezembro 2021
InícioGeralFogos de artifício podem causar danos permanentes à audição

Fogos de artifício podem causar danos permanentes à audição

 

A contagem regressiva para a virada de ano já começou. A queima de fogos é um dos momentos mais esperados nesta época do ano. O que pouca gente sabe é que, os sons dos fogos podem contribuir para ou até causar perda auditiva. De acordo com a Sociedade Brasileira de Otologia (SBO) esse tipo de problema, mais conhecido como perda auditiva induzida por ruído (Pair) atinge 35% dos brasileiros.

O problema é provocado pela exposição por tempo prolongado ao barulho muito alto, que pode acontecer em shows, boates, festas e até mesmo com fones de ouvido. O médico Fayez Bahmad Jr, do Instituto Brasiliense de Otorrinolaringologia (Iborl) explica que é uma doença grave e comum. “Cerca de 20% da população brasileira é portadora de surdez neurossensorial bilateral, decorrentes de exposição a ruídos intensos”, aponta.

Segundo ele, apenas alguns minutos expostos a ruído sonoro superior a 120 dB já são suficientes para gerar perda auditiva irreversível. O especialista complementa que a perda auditiva induzida por ruído pode apresentar alguns sintomas: além da perda auditiva, dificuldade de compreensão de fala, zumbido e intolerância a sons intensos. “É comum ainda que os afetados pela doença relatem queixas, como cefaleia, tontura e irritabilidade, entre outros”, destaca Dr. Fayez.

De acordo com o otorrinolaringologista, o trauma sonoro pode apresentar dor ou não, mas ao primeiro indício – como zumbido, tontura ou perda auditiva – a orientação é procurar imediatamente um especialista para verificar se a audição foi afetada ou lesionada e, em seguida, proceder com o tratamento adequado.

“Durante as festas de fim de ano, caso a exposição aos fogos ou a sons muito altos seja por muitas horas, é importante prevenir. O uso de protetores auriculares pode fazer toda a diferença. Os acessórios podem ser encontrados facilmente em farmácias”, finaliza.

O Blumenauense
Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

MAIS LIDAS