segunda-feira, 18 outubro 2021
InícioGeralEquipes de saúde voltam a monitorar residências no combate ao aedes

Equipes de saúde voltam a monitorar residências no combate ao aedes

Foto: James Tavares/Secom

 

A partir dessa segunda-feira (31/10/16), a equipe do Programa de Combate a Dengue, da Secretaria Municipal de Saúde, estará com seus agentes nas ruas de Blumenau, iniciando o Levantamento de Índice Rápido Amostral (LIRA) de 2016. O Lira faz parte das ações de combate ao mosquito aedes aegypti e será desenvolvido durante três semanas.

As visitas serão feitas simultaneamente em diversos bairros da cidade, a fim de alcançar 12 mil imóveis visitados. O levantamento serve para verificar a atual situação entomológica em relação ao aedes no município.

De acordo com a gerente do Programa, Eleandra Casani, nessa época do ano a atenção a possíveis focos do mosquito passa a ser novamente necessária por parte da população, pois o calor aliado ao período chuvoso é o ambiente ideal para a reprodução do inseto.

Também existe a preocupação com o feriado de finados que está próximo, quando pessoas levam flores e objetos aos cemitérios, que evitem deixar nestes locais possíveis depósitos de água que possam virar criadouro para o mosquito. “Contamos com a colaboração da população e solicitamos que mantenham estes locais livres de criadouros do mosquito. Nossas equipes no dia 11 de novembro estarão vistoriando os cemitérios para garantir que não haja depósitos para possíveis criadouros do mosquito”, alerta Eleandra.

Números do aedes aegypti em Blumenau

Ano Focos Casos suspeitos Casos confirmados
2012 41 08 01
2013 56 45 16
2014 23 26 02
2015 57 220 08 (moradores de Itajaí e Itapema, atendidos em Blumenau)
2016 * 49 211 19
** Zika 19 07
** Chikungunya 21 03

 

*até 25/10/2016
** até 2015 os casos contabilizados eram apenas de dengue. A partir de 2016 identificou-se a existência dos vírus da febre Zika e Chikungunya, também transmitidos pelo aedes.

Por Marília Prado, da SECOM / Blumenau

 

O Blumenauense
Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

MAIS LIDAS