terça-feira, 19 outubro 2021
InícioEconomiaEntenda a proibição das lâmpadas incandescentes superiores a 60W

Entenda a proibição das lâmpadas incandescentes superiores a 60W

Texto: Denise Redel

Terminou nesta quarta-feira (01) o prazo para o comércio vender as tradicionais lâmpadas incandescentes de 60W. Até junho de 2016 todas as lâmpadas incandescentes devem ser substituídas.

Uma portaria do Ministério de Minas e Energia, de 31 de Dezembro de 2010, estabelece que as lâmpadas incandescentes possuam limites de eficiências energéticas superiores ao que elas podem alcançar. Desde o dia 01 de julho de 2014, todas as lâmpadas a partir de 100W devem estar fora dos pontos de venda.

Agora é a vez das lâmpadas mais populares, as de 60W, que puderam estar presentes em pontos de venda por mais um ano, ou seja, até 01 de julho de 2015. A proibição e restrição de venda desses materiais segue uma tendência mundial recomendada pela Agência Internacional de Energia.

Motivos da proibição:

Quando se compara as lâmpadas incandescentes com fluorescentes compactas ou LEDs nota-se que as incandescentes consomem muito mais energia e possuem uma durabilidade expressivamente inferior, de 6 a 20 vezes menor. Por outra perspectiva tem ainda o apelo ecológico, indo contra a sustentabilidade, as lâmpadas de outras tecnologias consomem menos energia e ainda evitam que toneladas de dióxido de carbono sejam lançadas na atmosfera prejudicando o meio ambiente.

Até quando podem ser comercializadas:

As lâmpadas incandescentes serão substituídas gradativamente, por faixa de potências. As de 100W, 150W e 200W já foram retiradas do mercado em 01 de julho do ano passado. As lâmpadas incandescentes de uso geral de 60W encerraram sua comercialização pelo varejo neste 01 de julho de 2015 e as de 40W e 25W deixaram de ser produzidas em 30 de junho de 2015 e serão extintas, gradativamente, até 2016.

lampada-LEDBenefícios da Tecnologia LED

A Taschibra, de Indaial/SC, se preparou para essa troca das lâmpadas e aposta no LED como tecnologia de ponta. O sistema LED – em inglês Light Emitting Diode – diodo emissor de luz – é um componente eletrônico, semicondutor que, quando submetido a energia elétrica, emite a radiação sob a forma de luz.

A empresa fez investimentos no parque fabril e grande parte de sua produção de luminárias já é de LED. Parte do desenvolvimento está voltado para produtos em LED que, como não possuem mercúrio, evitam a agressão ao meio ambiente e geram maior economia de energia. Em feiras internacionais só o LED aparece nos produtos e aos poucos os consumidores brasileiros já estão aprendendo e notando o custo benefício dessa tecnologia. “A Taschibra já está se adaptando e trabalhando maciçamente em cima das lâmpadas LED, para melhorar o custo do produto e torná-lo mais acessível ao mercado”, complementa o Diretor Comercial Iberê Figueiredo.

Destaques da tecnologia LED

  • Consumo de energia reduzido;
  • Longa durabilidade;
  • Baixa manutenção;
  • Ecologicamente correto;
  • Não possui mercúrio;
  • Baixa quantidade de calor irradiado;
  • Não emite radiação infravermelho e UV;
  • Alta eficiência energética;
  •  Alta qualidade de luz;
  •  Acendimento instantâneo;
  •  Bom índice de reprodução de cor;
  •  Rápido retorno do investimento;
  • Resistência a impactos e vibrações.
O Blumenauense
Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

MAIS LIDAS