quinta-feira, 28 outubro 2021
InícioGeralEm Blumenau foram 455 batidas em postes só no ano de 2013

Em Blumenau foram 455 batidas em postes só no ano de 2013

Abalroamentos de postes em vias públicas, causaram R$ 5,3 milhões de prejuízos à Celesc com equipamentos danificados só no ano passado. No último feriadão, duas ocorrências deixaram sem energia 15 mil unidades consumidoras de Rio dos Cedros, Timbó e Barra Velha.

Só para vocês terem uma ideia, até o final de janeiro, foram registradas 372 ocorrências em toda área de concessão, com as regiões de Florianópolis (83 casos), Joinville (64) e Blumenau (39) com maior número de ocorrências. Ou seja, nossa cidade está em terceiro lugar.

Acidente em 7/01/14 na Rua 1º de Janeiro.  Foto: Jefferson Santos
Acidente em 7/01/14 na Rua 1º de Janeiro.

A maioria das ocorrências acontece nos finais de semana, e dependendo dos danos na rede elétrica – como a quebra de postes e o rompimento de fiação – o custo para o conserto varia entre R$ 3.000 e R$ 5.000. Desde o início deste ano até o final de fevereiro, os abalroamentos danificaram 208 postes e 35 transformadores, deixando um prejuízo financeiro de quase R$ 258 mil.

Mas isso afeta outro fator importante: 5h sem energia, interferem nos indicadores de qualidade no fornecimento de energia elétrica estabelecidos pela agência reguladora, a ANEEL.

Em toda área de concessão da Celesc, no ano passado, foram registrados 4.300 abalroamentos, 208 ocorrências a mais do que em 2012. O maior número de ocorrências foi em Florianópolis (840 casos), seguida por Joinville (793 casos), Blumenau (455) e Itajaí (334 casos). Onde tiveram o menor número desses acidentes foi São Bento do Sul (37) e Videira (43).

Foram avariados em:
2013 – 1.351 postes e 124 transformadores.
2012 – 1.127 postes e 92 transformadores.

Mas afinal, quem paga essa conta?
A Celesc aciona o responsável pelo acidente. Em 2013 foram resgatados judicialmente mais de R$ 2 milhões, enquanto em 2012 a metade desse valor. Os dados apontam que os prejuízos têm aumentado ano a ano.

E no final das contas, quem vocês acham que paga o prejuízo? Nós, de uma forma ou outra.

Fonte: CELESC

O Blumenauense
Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

MAIS LIDAS