sábado, 16 outubro 2021
InícioEducaçãoEdital da secretaria de educação não prevê contratação de professores de informática...

Edital da secretaria de educação não prevê contratação de professores de informática para 2017

Reginaldo Carriel de Lima ocupou a tribuna da Alesc para criticar o edital da Secretaria de Estado da Educação Foto: Luis Debiasi/Agência AL
Reginaldo Carriel de Lima ocupou a tribuna da Alesc para criticar o edital da Secretaria de Estado da Educação
Foto: Luis Debiasi/Agência AL

 

Florianópolis (SC) – Na manhã desta quinta-feira (20/10/16), Reginaldo Carriel de Lima ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa Estadual representando o Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinte) e do Grupo de Professores de Informática da Rede Pública Estadual. O professor veio manifestar-se em relação à decisão da Secretaria de Estado de Educação (SED) de não renovar, a partir de 2017, os contratos dos professores de informática e das salas de tecnologia admitidos em caráter temporário.

De acordo com Lima, a decisão atinge cerca de 1,2 mil profissionais que estarão fora dos estabelecimentos de ensino a partir do próximo ano. “Estamos trabalhando nas escolas da rede estadual promovendo atividades de ensino, mediação de conteúdos, suporte ao equipamento de informática fornecido pelo estado, assim como, a manutenção da rede.”

A proposta do governo, divulgada por nota no sítio eletrônico da secretaria, é que as funções exercidas por estes profissionais passem a ser executadas pelos Núcleos de Tecnologias Educacionais (NTE) de cada uma das Gerências Regionais de Educação (Gereds). As gerências também serão responsáveis por promover licitações para o fornecimento de manutenção preventiva e corretiva de programas, computadores e da rede de cada uma das escolas estaduais.
“Nossa maior preocupação são com os alunos, pois o estado criou uma necessidade desde 2009 de ter justamente este professor de informática para auxiliar o aluno, mediar o aluno e agora interrompe esta formação”, questionou Lima.

A deputada Luciane Carminatti (PT) apoiou a manifestação do professor considerando fundamental a reversão deste quadro. A parlamentar argumentou que a escola também se faz com tecnologia, mas que não se trata apenas de computadores funcionando. Para a líder do Partido dos Trabalhadores, é preciso da mediação que deve ser feita por um profissional formado e qualificado, defendeu.

O deputado Neodi Saretta (PT) classificou como lamentável a situação enfrentada por estes profissionais. “Esperamos que isto possa ser revertido para o bem não só dos professores, mas também da educação de Santa Catarina.”

Lucio Baggio, da AGÊNCIA AL

O Blumenauense
Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

MAIS LIDAS