terça-feira, 30 novembro 2021
InícioGeralDia 2 de julho, data para agradecer aos bombeiros por tantas vidas...

Dia 2 de julho, data para agradecer aos bombeiros por tantas vidas salvas

 

 

Foto: Corpo de Bombeiros de Blumenau. Operário resgatado com vida no desmoronamento de uma obra às margens da Via Expressa. Foram horas de trabalho contínuas até conseguir retirá-lo com vida. Infelizmente ele faleceu semanas depois no hospital.

 

Durante esses quase seis anos de OBlumenauense, noticiamos acidentes, crimes, aventuras que nem sempre terminaram bem, etc. Em praticamente todas essas situações havia um bombeiro militar, voluntário ou comunitário. Pessoas que responderam, em sua atividade profissional, ao dom de salvar vidas.

 

 

Milhares de famílias que viveram momentos angustiantes agradecem eternamente aos bombeiros. Seja quando salvaram seu filho de algum afogamento, o bebê engasgado com leite, seu pai ou mãe naquele terrível acidente de trânsito ou aquele amigo atropelado. Também lembram como os bombeiros foram essenciais ao salvar o avô no dia que sofreu um mal súbito, quando a casa foi tomada pelas chamas em um incêndio ou de capturar aquela cobra venenosa que apareceu dentro de casa. E aquele parto que não deu tempo de chegar no hospital? Eles estavam lá!

Neste 2 de julho, dia do Bombeiro, o portal de notícias OBlumenauense parabeniza todos esses homens e mulheres que optaram pela profissão. Agradecemos a estes “super heróis” pela bravura, determinação, humanidade e carinho nos atendimentos à população.

 

Sede do Batalhão de Bombeiros em Blumenau

 

Dia do Bombeiro

A escolha desta data é uma homenagem a criação do Corpo Provisório de Bombeiros da Corte, criado em 2 de julho de 1856, no Rio de Janeiro, sob o comando do major João Batista de Morais Antas. Mas oficialmente, só virou Dia do Bombeiro no Brasil ao ser instituído com o decreto-lei nº 35.309, de 2 de abril de 1954.

 

1926 – Primeiro grupo de bombeiros em Santa Catarina, formado por 27 homens e comandado pelo 2º Tenente BM Waldomiro Ferraz de Jesus

 

Em Santa Catarina, a história do Corpo de Bombeiros Militar em 1919, após o incêndio em um sobrado na esquina das ruas Trajano e Conselheiro Mafra. As chamas se propagaram para prédios vizinhos causando grandes prejuízos. O episódio aconteceu justamente nos dias em que a população católica rendia seus cultos da Semana Santa, o que aumentou a insatisfação popular. Em resposta, o então governador do Estado, Hercílio Luz, assinou em 16 de setembro do mesmo ano a Lei Estadual número 1.288, que criou a Seção de Bombeiros da Força Pública.

A nova Seção, formada por 27 homens e comandada pelo 2º Tenente BM Waldomiro Ferraz de Jesus, ocupou provisoriamente os fundos de um prédio na Rua Tenente Silveira, na área central. No local funcionou a Inspetoria de Saneamento da Capital. Dispunha de duas bombas à vapor (com capacidade de 350 e 250 galões por minuto, respectivamente) duas bombas manuais (uma cisterna), seis secções de escadas de assalto, uma de gancho para assalto em sacadas, dois aparelhos de hidrantes de incêndio e ferramentas de sapa.

Somente em 2003, os bombeiros foram desvinculados totalmente da Polícia Militar. No ano passado, a corporação comemorou seus 92 anos de existência.

 

Primeira sede dos bombeiros em Blumenau, na Rua São Paulo

 

Graças ao apoio da comunidade,  em 13 de agosto de 1958, Blumenau foi a primeira cidade do interior de Santa Catarina a contar com uma estação do Corpo de Bombeiros Militar. Décadas depois, em 1983, ano da grande enchente, foi implementado o serviço de socorro pré-hospitalar, realizado até hoje por bombeiros socorristas.

Também no Vale do Itajaí, foi instalado o primeiro posto de salva-vidas, mais precisamente em Camboriú, na temporada de 1962/1963. Na época, Balneário Camboriú (emancipado em 1979) ainda fazia parte do município.

Dois anos depois foi criado o Serviço de Salvamento Aquático, permitindo os resgates de forma mais segura em rios e mar. O serviço de socorro pré-hospitalar,  foi implementado em Blumenau no ano de 1983, e é realizado por bombeiros socorristas.

 

O Blumenauense
Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

MAIS LIDAS