sábado, 6 março 2021
Início Geral CPI vai comunicar à Polícia suposta tentativa do vice-prefeito de obstruir investigação

CPI vai comunicar à Polícia suposta tentativa do vice-prefeito de obstruir investigação

Foto: Imprensa CMB
Foto: Imprensa CMB

 

Na manhã desta quinta-feira (16/6/16) aconteceu a nona reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga denúncias contra o vice-prefeito Jovino Cardoso Neto (PSD). Estiveram presentes o presidente Fábio Fiedler (PSD), o relator Jefferson Forest (PT) e os vereadores Oldemar Becker (DEM) e Célio Dias (PR). Além deles, acompanharam os trabalhos o vereador Jens Mantau (PSDB), que está licenciado do Legislativo, e o vereador suplente Sylvio Zimmermann Neto, que irá assumir a cadeira durante a Sessão Ordinária desta tarde e passará a integrar a Comissão. Também esteve presente o procurador do vice-prefeito, Dr. Carlos Roberto Pereira.

Na reunião, os integrantes da CPI decidiram encaminhar um ofício à Polícia Civil comunicando a suposta tentativa de obstrução da investigação por parte do vice-prefeito, além da suspeita de coparticipação em falso testemunho. A decisão foi tomada após ouvirem o depoimento de uma comerciante que confirmou que o vice-prefeito Jovino Cardoso Neto e o seu procurador, Dr. Carlos Roberto Pereira, estiveram reunidos em um café com as quatro testemunhas que foram ouvidas pela CPI na última quinta-feira (9), momentos antes da realização da reunião da Comissão.

Na ocasião, nove de junho, foram ouvidos os familiares de Alexandre Pereira – servidor do gabinete do vice-prefeito que segundo denúncias estaria trabalhando no sítio de Jovino: Jonathan Pereira dos Reis e Joel Pereira, irmãos de Alexandre, Marli Pereira, mãe, e Renata Carvalho, cunhada do servidor. O encontro foi confirmado no depoimento de Tatiane Gislaine Reis, que é proprietária de um café na Rua Ângelo Dias, no Centro, local onde teria acontecido a reunião.

Tatiane disse que Alexandre Pereira também estava presente momento do encontro. A comerciante prestou depoimento espontâneo à Comissão, após ser procurada pelos membros da CPI, que receberam a informação de que o vice-prefeito teria se reunido com a família momentos antes da oitiva.

Tatiane ainda afirmou que Jovino e o procurador dele, Dr. Carlos Roberto Pereira, chegaram primeiro ao café, por volta das oito horas da manhã, e os demais chegaram posteriormente. Disse que sentaram todos juntos e conversaram por cerca de meia hora. Segundo ela, o vice-prefeito foi quem mais falou na ocasião.

Após o depoimento de Tatiane, o relator Jefferson Forest solicitou que Alexandre Pereira e seus familiares sejam reconvocados para prestarem depoimento à CPI, o que foi despachado com a concordância dos demais membros da Comissão. Os membros da CPI também decidiram comunicar à Polícia Civil a suspeita de falso testemunho desses familiares, por supostamente terem combinado a versão dada nos depoimentos e porque teriam afirmado à Comissão que não haviam se encontrado recentemente com o vice-prefeito. Outro ofício que será encaminhado à Polícia vai comunicar a suspeita de obstrução da investigação e coparticipação no falso testemunho do procurador do vice-prefeito, Dr. Carlos Roberto Pereira, que ainda será alvo de uma representação na Ordem dos Advogados do Brasil.

O presidente da CPI, vereador Fábio Fiedler, ressaltou que o que se sabe é que o encontro entre o vice-prefeito e os familiares de Alexandre Pereira ocorreu. “Os supostos falso testemunho e tentativas de obstrução da investigação terão que ser apurados pela Polícia e pelo Ministério Público, e a CPI tomará os caminhos necessários para que isso possa acontecer”, assinalou.

A irmã do vice-prefeito, Lucinéia Cardoso, e o marido dela, Carlos Alberto, também foram ouvidos na manhã desta quinta-feira. Ambos afirmaram que Alexandre não trabalha no sítio e que ele somente frequenta a propriedade em alguns fins de semana.

A Comissão ainda ouviu o depoimento de Valmir Galinski, que realizou trabalho de reforma da varanda do sítio que seria da família de Jovino. Ele afirmou não conhecer Alexandre Pereira e nunca tê-lo encontrado na propriedade.

A próxima reunião da CPI será realizada na terça-feira, 21 de junho, às 9 horas, na Sala das Comissões da Câmara de Vereadores.

Sobre a CPI
A Comissão Parlamentar de Inquérito foi instalada em 17/05/2016 e visa investigar denúncias de uso de servidor público lotado no gabinete do vice-prefeito municipal Jovino Cardoso (PSD) em atividades estranhas à função. As denúncias apontam que o servidor estaria prestando serviços em um sítio, que seria de propriedade da família de Jovino Cardoso Neto, em horário de expediente.

Fonte: Assessoria de Imprensa CMB

Avatar
O Blumenauense
Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

MAIS LIDAS