sábado, 22 janeiro 2022
InícioEconomiaConheça a empresa de Blumenau que muitos sonham em trabalhar

Conheça a empresa de Blumenau que muitos sonham em trabalhar

 

Por Claus Jensen, com fotos de Marlise Cardoso Jensen

Que tal em vez de bater o cartão ou seguir um horário fixo, você ter metas para cumprir em determinadas horas trabalhadas? E se nessa empresa ainda tiver lounge, bar, sinuca, escorregador em vez de escada, caso você queira descer do primeiro andar para o térreo de forma mais divertida? Isso existe em Blumenau. Sim, e nós fomos convidados a conhecer pessoalmente.

 

 

Se você achou que o Google ou a Microsoft abriram uma filial em Blumenau, só acertou o segmento: tecnologia. Essa é a nova fase de uma empresa com 21 anos, que ainda está em fase de revolução em relação a como trabalhava. O conceito é inspirado nas grandes empresas do Vale do Silício, nos EUA, como as citadas aí em cima. Em vez do prédio com seis andares da antiga sede na Rua XV de Novembro, um nova construção toda envidraçada com dois andares na Rua República Argentina, bairro Ponta Aguda.

 

Marcelo Furtado, CEO e fundador da AMcom

 

A AMcom foi fundada pelos amigos Marcelo Furtado e Anísio Iahn, que estudavam juntos na Furb. Marcelo chegou a trabalhar como garçom para conseguir pagar as suas contas. O lageano, que agora é blumenauense por adoção, virou presidente, e junto com Anísio, e a vice-presidente Andréa Rangel que entrou na sociedade há 8 anos atrás, empregam mais de 300 pessoas, tem filiais no Rio de Janeiro, São Paulo e representantes na América do Norte e Europa. O objetivo é buscar cada vez mais clientes com faturamento acima de R$ 500 milhões, como tantos que já fazem parte da carteira atual.

 

 

Na terça-feira (26/06/18), eles convidaram alguns veículos da imprensa para conhecer a estrutura e o prédio de 4 mil m² que custou R$ 5 milhões. A visita guiada por Leticia Roveri, gerente de marketing, mostrou um ambiente criado para despertar ideias. Na recepção, uma tela mostrava o nome do convidado e o veículo que representava.

 

 

 

E se você não consegue resolver um problema, está meio estressado, não faltam opções para relaxar. Os colaboradores podem a qualquer hora jogar videogame ou pebolim, relaxar em cadeiras de massagens ou sentar em pufes coloridos. Tem até um bar com produtos, geladeiras, microondas, para quem quiser dar aquela beliscada durante o trabalho.

Porque é nas horas de menos tensão,  depois de pensarmos em mil formas para resolver um impasse, que uma ideia surge “no meio do nada”. É que antes disso, você já estimulou muito o seu cérebro, precisava de um tempo para as conexões acontecerem e o estalo criativo surgir.

 

 

Esse espaço parece até lanchonte de rede de fast food, onde é dada certa preferência para produtos naturais. Todos tem um valor que o funcionário interessado em consumi-lo tem que pagar. Para tanto, existe um bauzinho “Caixa da confiança” onde é depositado o dinheiro da compra. Um empresa terceirizada foi contratada para repor o estoque. A intenção é que o funcionário se sinta em casa e motivado a trabalhar, porque o ambiente inspira isso.

 

 

Um detalhe que chamou a atenção é uma sala com várias camas cápsulas para os horários de descanso. A sede permanece aberta entre às 6h e 22h na semana, o que permite ao profissional realizar sua jornada de trabalho e folgas de acordo com a sua preferência de horário.

 

Rabiscos em um painel de vidro no fundo

 

Na parede do ambiente principal, um longo mural de vidro com vários rabiscos atrás de mesas com computadores. São ideias para serem compartilhadas e quem sabe, outro colaborador possa acrescentar ou melhorar. Uma cabine fechada com isolamento acústico, permite privacidade a quem queira fazer ou receber uma ligação. Salas de reuniões também não faltam, nem áreas colaborativas, afinal são locais para trocas de informações. Uma delas é aberta, tem formato de arquibancada e possui um enorme telão.

 

Guilherme Moki, arquiteto responsável pelo projeto do novo prédio da AMcom

 

Tudo isso foi o resultado de sugestões dos próprios colaboradores. “Nenhuma ideia foi desperdiçada, tudo foi aplicado” disse o arquiteto Guilherme Moki, especializado em desenvolver escritórios corporativos com o perfil do profissional de TI e dos millennials. Em seu currículo, projetos para a Google, Chaordic, Resultados Digitais, GE, entre outros.

Todas essas mudanças, na definição de Furtado, geraram “um local corporativo, mas sem estruturas burocráticas. Por isso os profissionais sentem-se mais à vontade para interagir, o que fortalece o crescimento pessoal e, consequentemente, da empresa como um todo”.

 

 

Os profissionais da imprensa sentaram na arquibancada, para assistir a apresentação do CEO, Marcelo Furtado, que falou sobre os serviços da AmCom, e seu surpreendente crescimento anual de 30%. Já foi mais e menos, mas essa é a média. Especializada em desenvolvimento customizado, sustentação de sistemas, alocação e consultoria, a empresa acredita que a inovação e a manutenção evolutiva são os principais apelos da nova economia. Para isso, as pessoas são fundamentais neste processo.

Entre os cases de clientes, citou o do Baú da Felicidade Jequiti, do Sílvio Santos. A equipe concorria com outras do Brasil e conseguiu apresentar a melhor solução para em 30 dias reestruturar o negócio que andava parado. Primeiro um profissional da AMcom fez uma imersão na estrutura do Baú, absorveu os processos de trabalho, e a partir daí conseguiram estruturar tudo. Desde a cobrança, controle de estoques, etc…

 

 

“A consequência deste formato de trabalho colaborativo na AmCom, é que em 2017 não sentimos os efeitos da crise. Muito pelo contrário. Enquanto o desemprego aumentou e algumas operações fecharam ou reduziram as jornadas de trabalho, a AMcom evoluiu. Tivemos um aumento de 44% no nosso quadro de colaboradores, e conquistamos 28 novos clientes”, explica o CEO, Marcelo Furtado. E ainda existem mais 30 vagas abertas.

Essa preocupação com o funcionário ficou evidente quando comemoraram 20 anos. A festa foi no Tabajara Tênis Clube, com direito a apresentação da banda mineira Skank, sorteio de 20 prêmios aos colaboradores, entre notebooks, celulares e até um carro.

E o futuro? A meta de faturamento para 2020 é de R$ 100 milhões, e em 2029 chegar no R$ 1 bilhão, nesta última através de aquisições. Em 2017 a AMcom faturou R$ 40 milhões e para esse ano estão se esforçando para bater nos R$ 52 milhões.

 

 

Para dar conta de todo esse crescimento, já foi reservada uma área de 8 mil m² que permite expandir a estrutura física, caso seja necessário. Entre as tantas fórmulas de sucesso, está um marketing dentro e junto com seus clientes, com o objetivo de gerar o engajamento.

A AMcom também pretende investir em projetos sociais, levando o conhecimento tecnológico para crianças carentes e idosos. No final do encontro, uma foto com todos os amigos da imprensa, um cafezinho com diversas delícias, e de brinde, uma mochila com agenda.

 

Claus Jensenhttp://www.oblumenauense.com.br
Trabalhei com publicidade há mais de 30 anos, fiz teatro durante 8, apresentei programa de televisão outros 5 e sou blogueiro desde 2007. Mas minha maior paixão é a família, e claro, essa fascinante Blumenau.

MAIS LIDAS