sábado, 24 julho 2021
InícioSaúdeCirurgia robótica completa dois anos em Blumenau com mais de 150 procedimentos

Cirurgia robótica completa dois anos em Blumenau com mais de 150 procedimentos

O equipamento garante incisões cirúrgicas menores, menos sangramento, maior precisão, resultando em menos tempo de internação e recuperação mais rápida.

No dia 22 de junho (2021), o Hospital Santa Isabel, em Blumenau, completou dois anos desde que o programa de cirurgia robótica foi implantado. O sistema permite a realização de procedimentos com movimentos precisos e seguros mesmo nas menores cavidades do corpo humano, garantindo uma cirurgia menos invasiva e com recuperação mais rápida do paciente no pós-operatório.

Segundo a assessoria de imprensa da instituição, é o único hospital do Estado que oferece esse tipo de tecnologia. Blumenau foi a cidade não-capital do Brasil a implantá-la.

O rol de especialidades e cirurgiões habilitados para operar o robô modelo Da Vinci Si, um dos mais modernos do mercado, está sendo ampliado. Segundo dados da H. Strattner, empresa que comercializa o equipamento, a cirurgia robótica começou no Brasil em 2008 e já foram realizados mais de 5 mil procedimentos.

Os mais procurados no Santa Isabel são para tratamento de problemas urológicos, ginecológicos e cirurgia geral. Outras especialidades que fazem uso do robô-cirurgião são a cirurgia digestiva, bariátrica, torácica, cirurgia de cabeça e pescoço, além de hérnias de parede abdominal. O Programa já atendeu pacientes da Região do Vale do Itajaí e de regiões norte, oeste, sul catarinense e Grande Florianópolis.

Robô é levado para o Centro Cirúrgico. O Capelão do HSI foi convidado para abençoar a conquista.

O aparelho é conduzido por uma equipe de cirurgiões credenciados, enfermeiros, anestesistas e instrumentadores cirúrgicos, que agregam à sua técnica habitual a precisão das imagens em 3D que o equipamento fornece, assim como os movimentos precisos dos “braços” do robô, fornecidos por meio de câmeras e pinças robóticas.

O equipamento garante incisões cirúrgicas menores, menos sangramento e maior precisão e segurança na cirurgia, o que resulta em menos tempo de internação e permite que o paciente retorne mais rapidamente às atividades.

Todas as partes do robô em uma sala especial, reservada para recebê-lo.

Pinça do robô e detalhes.

Pinça do robô e detalhes.

Ainda na fase da “dança”, com detalhe para o braço do robô. Nesta parte do equipamento são colocadas as pinças.

Essa é a parte do equipamento onde o médico credenciado para cirurgia robótica executa suas ações. Ele coloca os dedos e controla os braços do robô-cirurgião.

 

O Blumenauense
Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

MAIS LIDAS