sexta-feira, 5 março 2021
Início Economia Agroindústrias catarinenses contam com escolta para o transporte de ração animal

Agroindústrias catarinenses contam com escolta para o transporte de ração animal

Foto: arquivo/Secom

 

Em Santa Catarina, Governo do Estado, produtores rurais e lideranças trabalham juntos para preservar a vida de milhões de suínos e aves. Após seis dias de paralisação dos caminhoneiros, a prioridade para o setor é o transporte de ração para alimentar os animais e evitar a morte por inanição. Para garantir que as cargas cheguem ao destino, a Polícia Militar está realizando escoltas dos caminhões até as propriedades rurais.

As empresas contam com um mecanismo para requisitar as forças policiais do Estado na condução de comboios de cargas de ração e também na negociação da passagem pelos bloqueios. “Felizmente a maioria dos manifestantes tem aceitado negociar e, num gesto humanitário, vem permitindo a passagem de alimentos e cargas vivas para evitar o sofrimento e a crueldade que a falta de ração causaria aos animais”, afirma o secretário da Agricultura e da Pesca, Airton Spies.

Campanha

O Governo do Estado criou ainda uma campanha pedindo a compreensão dos manifestantes para liberar as cargas com ração e cargas vivas. Santa Catarina é o maior produtor nacional de suínos e o segundo maior produtor de aves, com um rebanho de sete milhões de suínos e de 206 milhões de aves alojados em granjas. “Esses animais precisam ser protegidos nesse momento de crise”, ressalta Spies.

Escassez

O cenário continua delicado para o agronegócio catarinense. A partir deste sábado (26/05/18) começam a faltar insumos (milho e farelo de soja) para abastecer as fábricas de ração e dar continuidade ao processo de manutenção da vida de milhões de animais.

Há ainda um grande prejuízo com a interrupção dos abates de suínos, aves e bovinos. Mais de 70 mil pessoas deixaram de trabalhar nas indústrias de carne e leite de Santa Catarina. O secretário Airton Spies explica que, sem a retirada dos animais das propriedades rurais, o quadro de escassez de alimentos fica ainda pior.

“Até o momento, apesar da grave crise, todo o esforço do Governo do Estado, agroindústrias e produtores rurais está direcionado para evitar a mortandade em massa de animais em Santa Catarina”, destaca o secretário.

LeiteOs produtores de leite e laticínios de Santa Catarina também passam por um momento delicado. Com a falta de transporte, o leite não está sendo coletado nas propriedades rurais e é descartado pelos produtores. Santa Catarina produz oito milhões de litros de leite por dia – é o quarto maior produtor nacional do produto.

Comitê Integrado de CriseA Secretaria da Agricultura é um dos órgãos presentes no Comitê Integrado de Crise do Governo do Estado. O grupo está concentrado no Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cigerd), em Florianópolis, e trabalha coordenando as ações para manter o funcionamento dos serviços básicos no Estado.

Por Ana Ceron, da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca

Avatar
O Blumenauense
Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

MAIS LIDAS